Quem sou eu

Minha foto
Vou mostrando como sou, e vou sendo como posso, jogando meu corpo no mundo ...

27 de junho de 2022

Estruturalismo social

 

Chega beirar a naturalidade
a negação da essência do viver
para caber em mundos maiores
pessoas desconhecem o seu poder.
 
O negro, um dia colonizado
que hoje, nega a escravidão
e age como um homem branco
vivendo a sua racial prisão.
 
O gay que para ser aceito
disfarça viver como hétero
discrimina os assumidos
com medo de ser descoberto.
 
A mulher submissa na história
ao poder do patriarcado
não consegue compreender
que o machismo ficou no passado.
 
O pobre que se conformou
em não questionar o despotismo
a democracia aqui se esconde
para dar lugar aos ricos.
 
A religião que deveria religar
se transforma em disputa de terra
os valores que eram para salvar
agora são de ódio, politica e guerra.
 
Daniel André

9 comentários:

  1. A religião supostamente justifica o injustificável.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante do poema!! Obrigada pela partilha!
    -
    Nas dobras do tempo...

    Beijos. Votos de uma excelente semana

    ResponderExcluir
  3. Boa noite serena, posta Daniel!
    A estrutura social está pervertida.
    Uma lástima a inversão de valores reinante.
    O terminar em pizza virou modismo...
    Tudo tem preço e lucros desmedidos para o bolso de uma minoria.
    Uma abordagem social muito pertinente.
    Tenha dias abençoados!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  4. E assim vai o Mundo...
    Caminhamos animados para o Fim, mas até lá, ainda nos resta o consolo de que tudo ficará bem...
    Abreijos :)

    ResponderExcluir
  5. Tudo estruturado socialmente com o "politicamente correcto". Gostei da reflexão do seu poema.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. O tempo passa... e tudo parece permanecer na mesma!
    É mesmo esta estrutura oca, aqui brilhantemente evidenciada, que continua a estruturar muitas das nossas sociedades... e algumas... ainda serão bem mais radicais!
    Adorei este excelente poema, que nos faz despertar consciências!
    Nossa! Já não passava aqui há um tempão! A pandemia alterou as minhas rotinas por completo... ainda não voltaram aos tempos da normalidade, com uma pessoa de risco por perto... mas sempre que der, espero voltar aqui mais assiduamente!
    Um grande abraço! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  7. Somos subversivos ou mais um? Não sei.

    ResponderExcluir

Agradeço a sua visita e comentário. Abraços, Dan.