27 de março de 2014

Sobre o divã


O mundo precisa descansar! Voltar os olhos para dentro de si, vasculhar a escuridão que cega os íntimos dias do universo agitado e desordenado que é o inconsciente.

Por trás da cor de medo, haverá anjos e demônios que se digladiam e comem corpos putrificados de mágoas. Duas estrelas choram, observando os acontecimentos e suspirando mudanças.

 

Haverá uma criança jogada numa terra fria, que bate de porta em porta para esquentar os sonhos não atendidos por genitores. A criança se encolhe, e presencia nas diversas janelas, como seria o afago do manto familiar.

 

Explode, nasce, expande, outra galáxia, e junto dela, resquícios das indiferenças, daquela criança desprotegida e que cresce com um desejo de um lar perfeito, harmoniosamente lindo e com pétalas de humildade caídas no chão.

 

Enquanto sobe os degraus de um espaço agonizante da sua escala evolutiva espiritual, resiste com bravura os motejos do quadrado, e todos os lados do concreto escudo que se encontra, se refugia e também se exclui.

 

O núcleo dessa matéria prima, gira em contradições, rejeições e também do aumento da solidão interna. Quanto mais foge dessa nebulosa confusa do passado, das gargalhadas por ser diferente, sente a solidão querendo laçar. 


E é nessa hora, que a morte acorda e se afoga na luz esperança. E você, com um lenço na mão, deitada num divã.

 

Daniel André.

22 de março de 2014

O amigo e poeta Daniel Simões.



“Não tenho poesia
E sim a alegria
Da alegria,
De um amigo meu
Que tal alegria
Em mim se perdeu !”
(Dan André)

É que hoje venho compartilhar com vocês, o lançamento do livro de um grande amigo e chara: Daniel Simões.


Daniel Simões é um homem de grande talento e sensibilidade. “Poesias para Toda Forma de Amor”, é uma coletânea de versos onde o amor, é tema principal. Nas 167 páginas, o leitor irá apreciar com olhos da alma, esse sentimento tão nobre e verdadeiro em seus diversos aspectos. Para quem ama, para quem já amou, para quem sonha com um amor, indico essa agradável leitura. 

 E indico também que conheçam o seu espaço na blogosfera:


http://danlirando.blogspot.com.br/



“Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos”. Essa frase tão bacana me lembra o inicio do meu blogue. Escrevia alguma coisa, lançava e não tinha seguidores. O Dan(chamo ele assim) foi o primeiro seguidor, e sempre me deu muito incentivo. Dizia assim: “Que interessante, além de gago, ele sabe escrever, um caso raro na natureza (risos)!” Em breve estaremos na praça XV vendendo alguns exemplares (risos). O meu carinho e admiração por esse ariano, careca e chará, fizeram-me descontrair um pouco. 



Praça XV - Centro do Rio de Janeiro/RJ


Aproveito o espaço para deixar meu abraço, carinho e amizade por todas as pessoas que estão sempre comigo aqui no gago poético.
  
Daniel André.

20 de março de 2014

Senhora




Antes que o galo
Comece a cantar
Acorda a senhora
Sempre sem hora
Com sorriso alegrar.

Na fiel penteadeira
Do tempo de moça
Se olha no espelho
Penteia os cabelos
E amarra a preguiça.

Com pó de arroz
Preenche o rosto
E ainda faz gosto
De se perfumar
Com leite de rosas.

No fogão a lenha
Esquenta o café
Sandália no pé
No ombro o xale
De tricô aveludado.

No tabuleiro de palha
Debulha o milho
Joga no terreiro
E as galinhas ciscam
A terra por inteiro.

Com o gato amigo
Vai para a missa
Nas mãos um terço
Reza salve rainha
Dentro da igrejinha.

Dan André