28 de abril de 2013

A garota do quadro



O triste quadro daquela garota
com um sorriso largo de solidão
sozinha na cadeira
e próxima do meu coração

encantado com a pintura
lembrei de um amor do passado
a sépia imagem revelava
oque já tinha terminado.

Um detalhe na tela a óleo
uma pincelada na minha visão
tem coisas que devem ser tracadas
com cadeado, num porão.

Daniel André

25 de abril de 2013

O Homem que assistia novela



Era sempre a mesma gargalhada:
João, o escárnio de seus colegas!
Quando o relógio dava oito horas
dizia: - até logo, vai começar a novela.

Até na mesa com os amigos
torcendo para o time da segunda divisão
na euforia dos gritos, ia embora
para assistir a trama na televisão.

Sorria com as cenas engraçadas
chorou quando a mocinha foi raptada
a sua mulher, toda prosa ficava
com ele no sofá, adorava.

Quando um capitulo ia embora
com pressa para rua ia correndo
novela não é para homem, diziam
sorridente, já foi se defendendo.

- Não é uma história de amor na TV
que desfaz um homem honrado
sou o pai do romantismo, respeito
nos aplausos voltou a ser aclamado!

Daniel André.




********
Para embalar a poesia, sugiro que ouçam a música: "Fugiu com a novela", na deliciosa voz da Vanessa da Mata. 


Refém de mim



Vejo-me amarrado nos acordos sociais
com fios de neurônios que movem
a minha desprotegida cabeça.

Oportunidades desperdiçadas
amizades desencontradas
amor que não evolui
maternidade que não ampara
dias que voam
e anos que desaparecem.

Não sinto mais o gosto do mel
só o amargo do fel.

Nem sei se estou bem
nesses dias pesados
preso em mim 
sou o próprio refém.

Daniel André

24 de abril de 2013

O doce veneno do escorpião


Vítima confessa e paralisada
acertado em cheio no coração
um cuidado que não se iguala
o doce veneno do escorpião.

É a energia invisível ao silêncio
manifestada na arte de amar
insatisfeitos com a aparência
no amado, quer mergulhar.

Se por uma infeliz coincidência
esse sensível coração for machucado
o mesmo veneno q traz o amor
te trará desprezo e seus pecados.


Daniel André

23 de abril de 2013

Bem me quer




É amor, ou algo passageiro?
Apresente sua decisão!
Meu jardim não é vai e volta
para cultivar ilusão.

Nas pétalas de uma margarida
brinco com a sorte
fantasio minha frustração
com a roupagem de homem forte.

Perdido no vento
com meus fragmentos caídos no chão
que o bem me quer defina
a verdade em teu coração.

Daniel André.