Quem sou eu

Minha foto
Vou mostrando como sou, e vou sendo como posso, jogando meu corpo no mundo ...

27 de junho de 2022

Estruturalismo social

 

Chega beirar a naturalidade
a negação da essência do viver
para caber em mundos maiores
pessoas desconhecem o seu poder.
 
O negro, um dia colonizado
que hoje, nega a escravidão
e age como um homem branco
vivendo a sua racial prisão.
 
O gay que para ser aceito
disfarça viver como hétero
discrimina os assumidos
com medo de ser descoberto.
 
A mulher submissa na história
ao poder do patriarcado
não consegue compreender
que o machismo ficou no passado.
 
O pobre que se conformou
em não questionar o despotismo
a democracia aqui se esconde
para dar lugar aos ricos.
 
A religião que deveria religar
se transforma em disputa de terra
os valores que eram para salvar
agora são de ódio, politica e guerra.
 
Daniel André

26 de junho de 2022

Transcendental

 

Amadeirado aroma da saudade
o beijo perdido
se encontrava na verdade
de um leque de lábios.
 
Montes coloridos de flores
estava um cara ali sozinho
cultivando amores
no campo surreal da mente.
 
Infinitos baús de fantasias
alguns cadeados quebrados
e liberados na grande tela
do dia a dia
 
Mais um ponto no cosmo
gritando o transcendental
perguntava um homem
o que é ser normal.
 
Daniel André.

16 de junho de 2022

Crônica gramatical

 

Atropelado
por um objeto direto
fui conduzido até um hospital.
 
Anotaram-me
um número cardinal, enquanto
o médico, chamado Dr. Advérbio
retirava agulhas de exclamação
que perfuravam o meu corpo.
 
- Ele é um jovem moço, (diziam
as enfermeiras) vamos orar ! E
através das orações coordenadas
e subordinadas a um grau superlativo,
que o verbo em meu peito, voltou
a pulsar.
 
Fui vestido de bons adjetivos,
e alimentado de substantivos simples, 
concretos.
Mas foi quando abri os olhos
e comecei a fonéticar,
ganhei aplausos dos pronomes
de um caso reto, que faziam em silêncio
uma análise sintática, da minha voz
passiva.
 
 
Daniel André

2 de junho de 2022

Âmbar

 

Ah ... o teu abraço
nunca quis que fosse algo fugaz
poderia recortar o momento
e emoldurar para que ficasse 
eternizado no tempo
nós dois.
Incandescentes estrelas nascem
todas as vezes, 
que nos permitimos esse calor,
eis o esplendor do nosso amor.
Os olhos da primavera, 
presenciaram tudo
e permaneceram intactos, 
dentro do âmbar
em um lindo e acolhedor
colar.
 
Daniel André

3 de maio de 2022

A mesma alma

 

O espelho me disse:
a melhor época
e essa em que se vive
 
e eu não me vejo
como vocês estão me vendo
sinto-me inocente
criança,
só que perdido no tempo.
 
as linhas desenhadas
em meu rosto pelo vento
são as mesmas que separam
o que desejo
do momento.
 
o amor nunca envelhece
e sussurra no ouvido do tempo
que quem morre são os amados
e comigo devo estabelecer
um íntimo e fiel
casamento.
 
tenho a mesma alma.
 
Daniel André