28 de maio de 2012

Santa Rosa

É o símbolo da paixão
na ponta do dia que inicia
pela janela do quarto entra
o perfume que se pronuncia.

Santa rosa de lindas pétalas
encarnado vermelho aveludado
o doce aroma que espalha
com meus sentimentos enevoados.

Derramo meu orvalho
Em sua impeta perfeição
Na sala, ramalhete de emoção.

Sua beleza enfeita a vida
Todo amor do mundo e a natureza
Nas obras de arte ostenta pureza.

Daniel André.

25 de maio de 2012

O libertino


Mais um leão foi morto!
Chego em casa
desato o nó da gravata
a mente vai até a geladeira
bebo a minha cerveja
de cueca no sofá.

Priapo incorpora.
E tu me aparece, desabrochando
todo fetiche escondido nos pelos escuros
da minha barba
falo
estou nu.

Sua obediência
quadrúpede na hora certa
fico em alerta
nas chamas acesas.
Brinco na anatomia de teu corpo
faço um jardim insano
parque de diversão do prazer.

Sem ritos dogmáticos
dignificamos o amor.
Na euforia da carne
somos o banquete perfeito
teu libertino secreto
escondido no peito.

Daniel André.

24 de maio de 2012

Grande pequeno homem


A urgência copular de dois gametas
e seus ásperos genes espartanos
formam um zigoto emocional
perdido num ser humano.

Genitores não são culpados
se o primogênito é díspar
ganhou a massa de um corpo
e a mente de outras vidas.

Foi na aurora da puberdade
a hostilidade de pai e filho
a mãe fanática e confusa
a vida segue um trilho

[Anos depois]... 

Grande pequeno homem
um fantoche visto por uma luneta
pacato emudecido num coliseu
com as cores de belíssimas borboletas.

Daniel André