26 de fevereiro de 2012

O super herói


"Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro". (Sigmund Freud)


A alma precisa ser blindada
para ser um super-herói
ficar imune a ingratidão
e a tudo que nos dói.

Vulgo redentor que voa
tem chagas e não reclama
numa hora até os deuses
precisam de uma boa cama.

Super-heróis são corajosos
carregam a caridade no peito
na capa um bordado:
o homem de respeito.

Liberdade é o amor declarado
de todo herói zeloso
segue a vida nas bondades
visto como um bom moço.


Daniel André.

Estranha Saudade (déjà-vu)

Um déjà-vu de nostalgia
trouxe-me inéditas lembranças
de um rei que nunca fui
prometido desde criança.

Tive uma coroa de ouro
súditos para me bajular
quando entrava em silêncio
bobos da corte para animar.

São flechas direcionadas
raios sensitivos em mim
recordo do cheiro de sândalo
do extenso manto carmim.

Nessa corte medieval
fui por todos amado
acordo com os pombos
numa praça, sentado.

Daniel André

24 de fevereiro de 2012

Serpente


Sua presença causa náuseas
se locomove como uma serpente
o veneno que esguicha da boca
prejudica os inocentes.

Edifica maldades
fica feliz com a desgraça alheia
desconfia da bondade
de ácido estás cheia.

Vive atrás de contenda
a alegria te perturba
se alimenta da malicia
sempre indigesta e crua.

Suas palavras são pesadas
diferente de sinceridade
podíamos viver na harmonia
sua insistência é a brutalidade.

Pena é o que sinto
respire a paz para viver
a vida vai se afastando
só Deus para te vencer.

Daniel André