17 de junho de 2012

A dificil arte de fazer você feliz


E de um jeito, acabei te dando a lua de presente
Para mostrar que o meu amor é uma fortaleza
Com desprezo arranca-me uma lágrima
Desfazendo-se da minha humilde gentileza.

Acordei-te pela manhã com meu rosto feliz
Mostrando que faz bem ser sempre positivo
Gestos tão poderosos saem de seus olhos
Mostrando a insignificância que eu existo

Prolifero o seu ego de mimos e elogios
E você sobe em mim para se engrandecer
Quando fica distante, me sinto largado
Com esse seu egoísmo que me faz entristecer

Todo meu entusiasmo de viver é dizimado
E extirpado pela fúria do seu maquiavélico olhar
A arte de fazer você feliz me deixou acabado
Mas essa fúnebre submissão não deseja terminar.

7 de junho de 2012

Uma e quarenta e nove da manhã




Uma e quarenta e nove da manhã
Uma incansável vontade de ler,
Reler, estudar e escrever
Sobre a sua vida,
Mas não sei por quê
Dê-me um motivo
E começo a esclarecer
Que não existe nada
A respeito de você.

O tempo corre e
Vão surgindo grandes olheiras
Mas que besteira,
Redigir sobre seus atos
Mas essa intransponível
Vontade do abstrato
De deixar registrado
Em cartório os seus lapsos
Deixam as minhas pretensões
Em grande desacato
Mesmo assim sou grato
Em ter feito esse fato.

Uma e quarenta e nove da manhã,
O ponteiro vai correndo
Numa ágil velocidade
Olho para os lados,
Beijo a banalidade
Meus dedos nervosos
Na única finalidade
De assistir à rivalidade
Do tempo,
Do vento,
De um casal que se ofendem
E se amam de verdade.

Daniel André

5 de junho de 2012

Enquanto dorme.


És a antologia romântica
dos lindos noturnos versos
quero te envolver nos sonhos
e ser o teu universo.

Cochila de bruço na cama
um convite a te abraçar
observo teus sorrisos
e canto para te ninar.

Namoro seu relevo
dorme e me encanto
a gota do nosso recanto.

Beijo a sua testa
abraços emocionados e fortes
minha estrela da sorte.

Daniel André

Atrás da porta é verde.


Que sativa foi essa camarada?
tem algo naquela porta clareando
entro na luz de cabeça feita
e fico com Bob Marley conversando.

Reggae da paz na vitrola
a marofa verde vou respirando
tem alguém abrindo a porta [nóia]
é Lauryn hill no The Fugees cantando.

Queimo um, com todos na sala
filosofamos o ronco das barrigas
na mesa um bolo de marzipã
para aliviar a nossa larica.

Outras pessoas batem na porta
com alma Woodstock e verde
de Clara nunes a Janis Joplin
até Chico Xavier esteve!

Que sativa foi essa camarada?
lisérgicos encontros atrás da porta
baseados em climas reais
veja como é linda minha horta!

Daniel André.