27 de setembro de 2013

Doces caindo do céu




Os meninos e as meninas não dormiram,

Alguns acordaram os galos para o dia nascer

Pequeninos inocentes ficaram sabendo,

Que uma chuva de doces iria acontecer.

 

Foram para escola olhando as nuvens,

A professora  já escrevia no quadro uma lição:

Prestem atenção no que é divino agora

Para no futuro serem bons cidadãos.

 

O sino do final da aula ecoou bem forte

Um temporal colorido ficou inerte no céu

Os grãozinhos de quichute corriam para rua,

Com as mochilas abertas fazend0 escarcéu.

 

Doces caiam em vários lugares das cidades,

As crianças corriam entre becos e gramados

A vizinhança também distribuía seus presentes,

Com guloseimas e brinquedos enfeitados.

 

Corriam anjos sorridentes,

Pegavam suspiro, pirulito e doce de amendoim,

Mariola, pipoca de arroz e doce de leite,

Tantos doces se amontoando no capim.

 

Chiclete ping pong, Geleia, Maria mole,

Balas Juquinha, paçoca e jujuba,

Guarda chuva de chocolate e doce de abóbora,

E depois um copo de grapette de uva.

 

A alegria era estampada naqueles rostinhos,

E o cansaço do corre corre também,

Apenas queriam um colchão de algodão doce,

Para descansarem como mais ninguém.



"E para quem tem fé e acredita: Salve São Cosme e São Damião!"   
 Daniel André.