9 de setembro de 2013

Manias do coração

Ah, não será fácil se acostumar comigo
Amo-me, e preciso de alguém ao meu lado
Deleitar em outro mundo seria diferente
Das minhas manias que ficaram no passado.

Estou me curando da navalhada no peito
Mas o meu antigo amor havia planejado
Que eu veria defeitos em um novo coração
Fazendo-me um homem mal acostumado

Aqueles mimos, beijos e abraços
Que tanto obedeceram as minhas vontades
Muitas das vezes meus erros foram insanos
E perdoados com tamanha facilidade.

E hoje, sozinho dessas lembranças eu fujo
Porque uma vida nova, preciso receber
Travarei ate a morte comigo mesmo
De tudo que me faça lembrar de você.

Daniel André


15 comentários:

  1. É Daniel,
    Ninguém consegue travar uma luta consigo mesmo para esquecer um grande amor, pois se foi tão forte assim, nunca o esquecerá, levará a tiracolo aquela lembrança gostosa de um amor que o vento levou. Haverá outro amor, mas nada que se iguale ao amor que tentamos esquecer.
    Vou tentar inventar uma borracha mágica para retirar do meu pensamentos pessoas que só me fizeram mal; mas ficarei até a morte tentando.kkk
    Meu filho em dezembro faz 31 anos e gosta de colinho, Hum! Eu adoro!
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Os grandes amores jamais esquecem, embora possamos fingir que os esquecemos

    Gostei de ler

    Deixo um abraço
    **************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Oi Daniel,estou adorando o seu poetar.
    Palavras singelas e expressivas.
    Muito lindo amigo.

    bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que poema lindo! Super romântico! Amei a forma que você escreve e as palavras que usa... Muito lindo! Amei.
    Beijão!
    http://www.momentosassim.com/

    ResponderExcluir
  5. Boa noite

    Que bonito..Há coisas na vida que não esquecemos..
    Embora fique fechado numa "gaveta".. gostei muito de ler
    Beijos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Lutar contra o amor é algo um tanto impossivel Dan!
    Sua poesia é linda,um grande e carinhoso abraço de sua fã de carteirinha...
    Eva

    ResponderExcluir
  7. Daniel querido, quando um amor termina, parece que nunca vamos esquecê-lo não é? Mas tu sabe que aos poucos isso acontece e quando menos percebemos resta apenas uma lembrança e estamos prontos para amar de novo. Bjus, adorei tua poesia.

    ResponderExcluir
  8. Que triste , este dilema,
    de estar travando esta luta consigo mesmo,

    tenha uma boa semana.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Intenso, amigo. Parabéns!!!

    Danlirando

    ResponderExcluir
  10. O amor tem certas coisas, que até mesmo Deus duvida (lembra dessa música?), lembrei dela ao ler o seu desabafo em uma poesia tocante.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  11. Poema muito bom e intenso. Grande trabalho, abraço!

    ResponderExcluir
  12. Gostei de vir aqui e encontrar uma escrita tão sincera e simples, acredite isso não é fácil e é para poucos, Daniel você tem um grande talento, adorei seu espaço e aproveito para agradecer sua visita ao meu blog! te visitarei sempre e esteja a vontade para fazer o mesmo! grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Gostei de vir aqui e encontrar uma escrita tão sincera e simples, acredite isso não é fácil e é para poucos, Daniel você tem um grande talento, adorei seu espaço e aproveito para agradecer sua visita ao meu blog! te visitarei sempre e esteja a vontade para fazer o mesmo! grande abraço!

    ResponderExcluir
  14. É preciso negar a si mesmo e se doar para AMAR.
    Muito lindo seu poema, aliás...todos eles!

    ResponderExcluir
  15. Estou passando por tudo isso. Esta super complicado. Beijos.

    ResponderExcluir