13 de março de 2013

Amor platônico

A poesia brota
quando te vejo
daí o tempo corre
o meu corpo para
não dou um passo
na andante calçada
torno meus dias
uma estátua
e fotógrafo
Sua simples vida.

Meu coração faz festa
entra em erupção
fecho os olhos
luz da emoção.
A mente evapora
grãos de imaginação
sinto seu toque
acariciando meu rosto.

Faíscas de ciúmes
rodeiam meus sonhos
devoram minhas noites...
mesmo assim,
te amo,
te cultuo
meu amor platônico!

Daniel André