14 de outubro de 2013

Laranja da terra



A poeira se acalma com a chuva,

Levantando um aroma campestre,

A água vai lavando a minha aparência

Deixando tudo em tons celeste.

 

Celeste é ver a beleza do campo,

Hortaliças e frutas delicadamente molhadas,

Mãos calejadas vão colhendo alimentos

Com a caminhonete seguem as estradas.

 

Nessas estradas, nesse solo ubertoso,

Moldando o barro, desfazendo a guerra.

Será a terra que escolherei para viver

Como o pé de laranja da terra.

 

Por aqui vou fincando minhas raízes

Desse pé caem flores brancas no chão,

Meu incenso cítrico perfuma o mundo

Nessa terra plana, apenas gratidão.

 

Daniel André

 

A fotografia foi captada pelo meu grande amigo fotógrafo Nil Barros, na cidade de Sumidouro,  interior do Rio de Janeiro


25 comentários:

  1. "A poeira se acalma com a chuva,
    Levantando um aroma campestre,
    A água vai lavando a minha aparência
    Deixando tudo em tons celeste."

    Divinal, Daniel!

    http://planopalavras.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Daniel..

    Maravilhoso o teu poema... adorei ler... aliás como sempre..

    Deixo um beijo, e votos de uma semana feliz

    visita
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Daniel. A foto está linda, e o poema também. Nada se compara ao perfume das laranjeiras em flor! Tenho uma aqui em casa, bem debaixo da janela da minha salinha de aula. Que bom!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia

    Poema muito bem delineado com versos perfeitos e poéticos
    Gostei muito de ler

    Deixo abraço
    ************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Oi Daniel,você colocou em cada palavra esse aroma campestre.
    Adorei amigo
    bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Daniel... viajei em seu poema, pois me fez ir até os campos tão presentes em minha vida infantil e tão distante em minha vida adulta.
    Me senti no campo.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir
  7. Realmente a foto está belíssima e a poesia cheirando a laranjeiras e a calma que o campo nos trás, simplesmente amei. Um Daniel.

    ResponderExcluir
  8. Amo o aroma cítrico das laranjas, das flores da laranjeira e suas folhas. E seu doce sabor, que versos cheirosos!

    ResponderExcluir
  9. Tudo que eu queria agora, era estar num lugar assim =)

    ResponderExcluir
  10. eu já adorei o...
    "Nessas estradas, nesse solo ubertoso,
    Moldando o barro, desfazendo a guerra.
    Será a terra que escolherei para viver
    Como o pé de laranja da terra."
    Só ai você já fincou mais ainda a sua raiz na poesia.
    Adorei de mais.
    Sálvio Sérgio
    http://salviosergiocampos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi querido,
    Você, com sua linda poesia, me fez retroceder muitos anos, onde subia nas árvores frutíferas, me deliciava até me empanturrar.kkk
    Linda poesia
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  12. Malucooooooo, que inspiração foi essa??? Sensacional Daniel, meus parabéns!!! A ultima estrofe foi épica!

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Daniel.. a poesia sempre vai nos permitir falar sobre tudo com tamanha beleza.. laranja rima com franja rsrs
    vai que um dia faço sobre as furtas tb.. ficou muito belos os versos abração amigo

    ResponderExcluir
  14. Hoje é um dia muito especial
    comemora se o dia do professor.
    È com carinho que deixei no meu blog
    uma homenagem a todos os professores
    também um mimo com muito carinho.
    Eu não poderia deixar em branco
    essa data tão importante.
    Meu carinho a você sendo professor
    ou não.
    Com muito amor te deixo meu abraço
    e carinho.
    E a oferta do mimo é para todos
    quer seja educador ou não,
    pois todos nós temos uma sagrada missão
    de educar nossos filhos.
    Quanto ao professor o dever de alfabetizar,
    Beijos e carinhos , Evanir.
    A sua poesia é linda Dani..Um dia eu postarei no meu blog vc deixaria??

    ResponderExcluir
  15. Nossa Dan, lembrei dos meus tempos de menina onde a vida campestre era a melhor coisa do mundo! belezura de versos... ah e obrigada pelo seu gentil comentário, quando você falou de Clarice e Caetano quase me mata de emoção! rsr valeu mesmo, coincidência ou não fiz meu Tcc sobre Clarice, sou super fã dela, é uma das minhas inspirações! grande abraço amigo!

    ResponderExcluir
  16. Olá Daniel!
    Antes de mais muito obrigada pela sua visita e pelas suas amáveis palavras.
    Gosto muito do seu texto de boas vindas com o qual concordo plenamente.
    "O poeta não pode ter preconceitos, vergonhas ou nenhuma forma de sentimento que venha corromper a sua criatividade..." Nem mais!
    Este seu poema é maravilhoso e remete-me para a minha infância no campo onde a natureza exala diferentes perfumes conforme a estação do ano. Como são belas todas as mãos calejadas, a terra, a chuva e os aromas cítricos!
    Você escreve muito bem, e admiro a sua sensibilidade.
    Claro que vou segui-lo também, com todo o prazer. Mas prepare-se porque se eu não gostar de alguma coisa eu direi...:-)
    xx

    ResponderExcluir
  17. até me senti neste seu habitat....que delícia

    lindíssima a foto tb.
    beijos Daniel

    ResponderExcluir
  18. Olá amigo Dan.

    Linda poesia. Quase que dá para sentir o cheiro da terra, dos cítricos. :)
    Amigo, desculpa a ausência. Estou a arranjar o blog, vou fazer algumas alterações nele.

    Beijos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Andre
    Vim agradecer tua encantadora visita e tuas lindas palavras. Quero dizer que já sou seguidora há um tempinho. A tua poesia tem o aroma da terra cultivada e nos remete às doces recordações da infância.Quero parabenizá-lo pelo dia de hoje pois todas nós somos educadores na arte que escolhemos e você é um exímio escritor. Meus cumprimentos por esta linda missão que desenvolve e nos presenteia com tuas poesias maravilhosas.
    Beijos com carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
  20. Dan. Eu me senti dentro de sua poesia de tão linda e real.O perfume da terra molhada,a laranjeira,esse amar a terra. Adoro plantar em meu simples pomar e semear.Semeio e colho também bons frutos como sua amizade,amigo.Magistral seu poema!

    Blog nota 1000 e você,poeta mesmo!


    Beijinhos e linda semana


    Dryka



    Blog Suas Histórias Nossas Histórias

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Terra nossa mãe querida,nela tudo cresce e da seus frutos.
    Linda sua poesia,e a gente viaja no tempo.
    Vim do Google+,adorei conhecer o seu blog,esta de parabéns,já stou a te seguir.
    Faço o convite para que conheça o meu cantinho,espero que goste.
    Felicidades.

    ResponderExcluir
  22. Olá Daniel.

    Ler esse poema me faz acalmar.
    Palavras, músicas, fotos sobre o campo são especiais pra mim.
    Foi de lá que meu pai veio. Lá ele plantou suas raízes ... e eu vivo destas raízes...

    Abraço.

    Ana Virgínia

    ResponderExcluir
  23. Lindo soneto e linda foto!
    Que legal! Te descobri através do G+.
    Tou antenada agora!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  24. Daniel...tudo o que você escreve é um encanto!

    Adorei!!!

    Parabens!!!

    ResponderExcluir
  25. Simplismente linda Dan!Que delicadeza.
    Um grande beijo... Evinha

    ResponderExcluir