30 de setembro de 2013

Cartas e borboletas




Por muitos anos,
Guardei no meu pote de açúcar,
As cartas melosas de amor,
Que tu fazias para mim.

Todas amassadas,
Envelhecidas como aqueles lenços,
De bordado azul celeste
Que me presenteaste.

Uma brisa de saudade,
Circulava-me feito os pássaros,
De várias espécies, e lá estava,
Eu sentando nas lembranças.

Pensei naqueles momentos,
Abri meu pote de recordações
E deixei todos aqueles escritos
Voarem como as borboletas.

Adeus cartas encantadas,
Adocicadas com seu perfume
Transformaram-se em declarações de asas
Desaparecidas no vento forte.


Daniel André

23 comentários:

  1. Bom dia Daniel

    Quanta doçura para depois desaparecer com com o vento..
    Amei ler..

    Abraço
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, caro Dan!

    Por muito boas que sejam as nossas recordações, há alturas em que as temos de as libertar e seguir em frente.

    http://planopalavras.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. o tempo pode passar, mais a doçura que guardamos nas recordações de pessoas e momentos, essa nem o tempo é capaz de apagar.

    ResponderExcluir
  4. Gaguito, tá lindo. Nem vou escrever mais nada, só vou ler vc agora..
    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde amigão.. eu nunca recebi carta.. mas mandava.. acho que me viam como um palhaço rsr nem com poesias tá dando pra conquistar o amor nos dias de hj rsrs vida dura essa de ser poeta viu.. linda poesia e lindo dia pra vc

    ResponderExcluir
  6. Ei Dan!

    Por vezes abrir o pote torna-se necessário nao é mesmo?
    Puxa adorei. Me identifiquei... Estou precisando libertar umas borboletas tambem. Tantas cartas guardadas com pétalas secas e tudo mais. Foi-se o tempo e ficaram as recordações...

    PS:Obrigada pelo carinho nos blogs viu.
    Um respondido.

    Abraço garoto poeta.
    Volto já!

    ResponderExcluir
  7. Lindo sem dúvida..E assim fala a alma de um poeta...

    Deixo cumprimentos
    ****************************
    http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Oi Daniel....amei conhecer seu blog! e poesias nos faz tão bem, e as lindas então...nos fazem sonhar! e as cartas de amor...olha não tenho muitas mas as que tenho ainda guardo com tanto carinho, nunca joguei fora,rsrs são tempos que não voltam e ficam as lembranças boas!!!

    Daniel parabéns por esse espaço encantador e por esse dom maravilhoso que Deus te deu!
    Um Super Abraço *-*
    Estrela,Flores...Melancia

    ResponderExcluir
  9. Oi Daniel
    Linda sua poesia de reminiscências, tem alguma semelhança com um conto que escrevi : A faxina da alma.
    Adorei
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  10. Oi Dan!!
    Obrigada pela sua visita lá no Pitacos! Já estou por aqui.
    Desculpe se eu não comentar sempre tá.... é que as vezes me acho muito ogra para comentar poesias. Mas tenha certeza que sempre leio tá!!!

    Qto à cartas melosas... adoro. Mas nunca recebi. Agora recordações, verás tu que sou a pessoa mais nostálgica do mundo.

    Bêjo

    ResponderExcluir
  11. Guardemos na memória as fases vividas. Adorei o poema.
    Um grande abraço. :)

    ResponderExcluir
  12. Adoro quando encontro um blog de poesias, adorei o seu, tem muito talento.
    As poesias me encantam, ainda mais as que são feitas através de lembranças. Lindo poema!
    Abraços,
    Natalia,
    http://nataliascholze.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Que lindo,Daniel!

    Vc é um poeta dos melhores.

    Seu blog está na minha lista de blogs amigos e recebi a atualização desse ótimo novo post.

    Ponha o meu tb na sua,ok?

    Beijinhos


    Dryka

    http://www.suasenossas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Qta sensibilidade menino!
    Bjs, Vanda.

    ResponderExcluir
  15. Bela poesia.

    As vezes precisamos libertar o amor
    para amar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sempre escrevi e se,pre recebi cartas.
    Guardei muitas até o dia de
    deixar que o fogo transformasse em cinzas
    as lembranças tanto boas quanto as más.
    Lindo texto.
    Bjins
    entre sonhos e delírios
    Catiaho Alc.

    ResponderExcluir
  17. Poesia, lembrança e amor! a escrita une todas elas e muitas vezes é a única saída para corações prisioneiros. Lindos versos Daniel, grande abraço da sua amiga Tucuju! Abençoado fim de semana!

    ResponderExcluir
  18. O amor, sem liberdade, não faz sentido.

    Bom fim semana.

    ResponderExcluir
  19. TRAZENDO MEU DESEJO DE UM LINDO DIA DE DOMINGO.ENCONTRO SEU POEMA QUE É FENOMENAL E ATRAENTE.AINDA TRAGO UM CONVITE ESPECIAL:
    O BLOG MILAGRE DO POETA DANIEL ESTÁ COM UM LINDO POEMA NOMINAL DEDICADO A NOSSA AMIGA BLOGUEIRA CHICA .CONVIDO PARA UMA FORÇA E APOIO COMENTANDO.
    http://danielmilagre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Treinar o desapego. Borboleta é transformação. "A gente ri, a gente chora e comemora um grande amor" como diz Edu Krieger. Ficou tocante Daniel. Abração!

    ResponderExcluir
  21. Manda o teu e-mail pelos comentário do meu blog Daniel, eu não publicarei! Abraços

    ResponderExcluir
  22. Estamos super ligados com a natureza. Você é um grande poeta.

    ResponderExcluir