23 de abril de 2013

Bem me quer



Revele para sua indefinição
Se é amor ou algo passageiro
Apresente a mim sua decisão
Que poderei ser bem ligeiro.

Devolva-me o gosto da certeza
Nem graceje do meu nítido amor
Meu coração não é vai e volta
Para ser cultivadas sementes de dor.
 
Enquanto isso, bem me quer
Arranco a sorte nas pétalas de uma rosa
Uma resposta terei dessa folhas
Enquanto imagino alguma prosa

Caminha em direção contrária ao vento
Tento te buscar, mas fica distante
Mal me quer, estou em fadiga
Perdido no seu carinho, em transe

Das pétalas caídas no chão
A minha realidade fortemente emergiu
Que não há nada de amor em você
Tudo aquilo sentido, se esvaiu


3 comentários:

  1. oi dan vc entrou no meu blog e eu retribui ...muito maneiro o seu cara ..show de bola

    JEFERSON DO BLOG DE POESIAS

    ResponderExcluir
  2. É verdade: independentemente de: se bem me quer, ou mal me quer, pétalas cairão ao chão e perecerão; somente não se vingar um amor!
    Abraço.

    ResponderExcluir