24 de abril de 2013

As suas palavras dóceis




Às vezes o desalento me assombra
E somente elogios me devolvem a imunidade
Das silabas saídas de sua boca
Vão me resgatando da insanidade

Antes que a noite chegue
Melodicamente diga-me que me ama
Com suas palavras tão dóceis
Quero deitar em minha cama

Gosto de sentir aclamado com seus verbos
De ouvir seu ânimo em poesias
Você me eleva com palavras perseverantes
E delas faço degraus de ousadia

Em nossa atmosfera adjetivada
Apenas dóceis palavras, não rebateremos azedumes,
Polvilhadas de paixão e romantismo
Purificadas com os nossos perfumes.

Troquemos carícias e também substantivos
Sussurros de exaltação ditos ao pé do ouvido
Nesse cantinho escuro fico apreciando
Agora em elogios eu te revido.

Um comentário:

  1. Lindo, lindo, alias o meu namorado precisa ler isso !
    Bjs

    ResponderExcluir