7 de março de 2014

Outros olhos

Não quero que olhe
Minha blusa semi aberta
Nem para rosa no bolso
Que colhi para você.

Nem salive o suor
Da minha carne morena
Mas sinta a salgada timidez
Transpirar em meu rosto.

Não me vista com palavras
Delirantes de desejos
Recolhe sua flor de maracujá
Escondida em teu lugarejo.

Desnude a tua ansiedade
Em meu pretensioso leito
Olhe a ametista rosada
Do amor sufocado no peito.

Olhe meu interior,
Toque o tecido marrom
Sinta o olor natural da pele
Beija-me com seu batom

Olhe com olhos da psique
Um homem com boa intenção,
Desunindo a alma do desejo
Fundindo amor com paixão.

Dan André