27 de março de 2014

Sobre o divã



O mundo precisa descansar
Voltar seus olhos
Para dentro de si
Vasculhar a escuridão
Que cega os dias
Nesse universo agitado
E desordenado do inconsciente.

Por trás da cor de medo
Haverá deuses e bestas
Se digladiando,
Comendo seus corpos
Diante de duas estrelas chorosas
Observadoras desses acontecimentos
Suspirando mudanças.

Haverá uma criança
Jogada numa terra fria
Que bate de porta em porta
Para esquentar os sonhos
Não atendidos por genitores.
A criança se encolhe
E presencia nas diversas janelas
Como seria gostoso
O manto familiar.

Explode, nasce, expande
Outra galáxia, e junto dela
Resquícios das indiferenças
Daquela criança desprotegida
Que cresce com um desejo
De um lar perfeito
E harmoniosamente lindo
Com pétalas de humildade
Caídas no chão.
 
Enquanto sobe os degraus
De um espaço agonizante
Resiste com bravura os motejos
Do quadrado, e todos os lados
Que se encontra
E se refugia no concreto escudo
Em que se esconde,
E também se exclui.

O núcleo dessa matéria prima
Gira em contradições, rejeições
E também do aumento
Da solidão interna.
E quanto mais foge
Dessa nebulosa confusa do passado
Das gargalhadas por ser diferente
Sente a solidão querendo laçar,
E corre,
E corre,
E corre,
Até acordar afogado
Na luz esperança
Com um lenço na mão,
Deitado num divã.




Dan André.

18 comentários:

  1. Bom dia amigo poeta.. os olhos do mundo que somos nós.. estão cada vez mais ofuscados pelos medos.. ou nos libertamos e olhamos o todo no tudo ou o mundo vai ficar sem graça.. as pessoas já estão assim não é.. temos que reanimar a vida neste plano.. abraços Daniel

    ResponderExcluir
  2. Estou sempre a voltar os olhos para dentro de mim mesmo ... isto é extremamente enriquecedor e nos faz descobrir nuances nunca percebidas ...

    ResponderExcluir
  3. Olá garoto este meu email
    lapidandoversos@gmail.com
    tenho umas coisas bem bacanas para te mandar abração

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Dani

    Que belo poema, adorei

    Beijokas

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Oi Filhote
    A vida é uma eterna introspeção, uma análise de nossos sentimentos que buscam puxar para a vida a alegria de viver. Não viver isolado e sim de mãos dadas um com o outro para atingirmos a plenitude da vida.
    É, meu caro Daniel a vida não é um mar de rosas e devemos nos acostumar com os ferrões e espetadas que a vida nos proporciona.
    Outrossim, somos feitos para viver, sofrer e ser feliz, tudo vai depender de nós mesmos.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  6. Olá, Boa noite, Daniel
    ... deitado no divã, que o paciente, outrora criança, de forma confortável, teha facilitada a expressão dos seus pensamentos e que em contato apenas com seus conteúdos internos, saiba reconhecer que muito de seus comportamentos e sentimentos tem origem em experiências que não são identificadas conscientemente, mas deixaram marcas profundas...
    Obrigado pelo carinho, belos dias, abraços!

    ResponderExcluir
  7. O mundo não parece ter conserto, e sobretudo as crianças parecem ser filhas de um deus menor. Uma infância que não é vivida em plenitude levará mais tarde os meninos e meninas adultos ao divã.
    Triste, mas é a verdade.
    Um grandioso poema!
    xx

    ResponderExcluir
  8. Uma forma interessantíssima de falar de medos e perguntas que fazemos a nós mesmos no divã dos sonhos e pesadelos.
    Abração Meu Poeta

    ResponderExcluir
  9. Oi meu amigo, seria muito bom se todos parecem um pouco para se auto avaliar. A vida contemplativa é isso tb, é reorganizar a vida, é escutar a voz do nosso interior. E quando o nosso interior é luz, com certeza esta luz se exterioriza.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Um poema muito bonito que nos faz refletir quanto a muitas questões e principalmente a nossa própria auto avaliação que nos conduz a consertar nossos defeitos de vez em quando....
    desejo-lhe um inicio de semana lindo
    beijos
    Joelma

    ResponderExcluir
  11. Salve ! Salve ! Inestimável amigo poeta , Daniel !!!!
    Antes de comentar o seu poema quero dizer sobre a alegria que eu sentir em ler o seu comentário , confesso que estou em lua de mel com o seu comentário , me fez sentir muito bem , uma vez que ás vezes eu passo momentos de melancolia , e o seu comentário veio como um incentivo , uma força . Nossa ! Só tenho que te agradecer !!!!!!!!!
    Meu caro , poeta
    Poeta , meu caro
    Como tu tens a audácia de falar que não se considera poeta ? Uma vez que a sua alma contém poesia e pulsa , pulsa e pulsa . Basta ler os seus poemas e sentir verdadeiramente a essência que existe neles , por exemplo , este que você criou toca em um assunto que é uma ferida social :o descanso com o nosso mundo. E quando falamos de descanso do nosso mundo , estamos falando dos seres humanos , cada vez mais egoístas , fazendo-se de um caminho tão limitado , tão limitado .
    " Por trás da cor de medo
    Haverá deuses e bestas
    Se digladiando,
    Comendo seus corpos
    Diante de duas estrelas chorosas "

    Forte ! E muito bem colocado. Por trás da cor de medo , existe um ódio que outrora era uma terra fértil em amor e esperança . É uma linha fina que separa amor e ódio , e o amor uma vez rejeitado se transforma em uma revolta . Assim são as crianças abandonadas , tudo tem uma história " Diante de duas estrelas chorosas "

    E tudo isso só me faz refletir aquela frase da Madre Teresa de Calcutá : " A falta de amor é a pior de todas as pobrezas " . Exatamente , é essa falta que gera um combustível para o ódio . O mundo como todo precisa enxergar seus semelhantes como se fosse si próprio , nós precisamos olhar para o espelho e sentir a dor de quem chora , de quem espera , de quem quer apenas amar e ser amado .

    Belo poema , meu caríssimo poeta !!!!!!!!


    P.S : Oba ! Vamos marcar em breve para nos encontrarmos , neste momento financeiramente está difícil para a gente , mas eu gostei da ideia , ou melhor , Patrícia e eu ( rs rs ) . Ah Aliás a Patrícia também é tricolor e os nossos times vão se enfrentar hoje , com todo respeito mas espero que o meu Vascão possa levar a melhor ( rs rs ) Saudações Vascaínas rs !!!! Muito obrigado pelo convite , nós iremos nos organizar para conhecer Nova Friburgo e o seu lar , com muita alegria .

    P.S 2 : Ah Novamente quero agradecer-te sobre o seu comentário lá no meu blogger . Ainda estou lendo enquanto estou comentando aqui em seu blogger , poxa , será que mereço tudo isso ? rs Muito obrigado , poeta . Um abração e tenha uma semana de paz !!!

    ResponderExcluir
  12. Quando olho para dentro de mim, não vejo nada notável. Essa é a realidade. :-(
    -Distante do Sol-

    ResponderExcluir
  13. Lindíssima poesia e reflexão...é cm se a cada postagem sua: se revelasse um aprimoramento natural, singelo, mas também caprichoso e sutil...sua marca é a originalidade; seus poemas nos fazem pensar em algo para além do nosso insano cotidiano!
    Outra coisa importante, são as belas imagens que associa aos seus escritos!
    Abração, meu amigo do "Rio"!

    ResponderExcluir
  14. Olá meu amigo... Esplêndido teus versos... Precisamos melhorar tanto ainda não é mesmo?
    Muitas vezes acho é que estamos andando para traz. E isso é triste... Que haja mais coisas boas nesta vida, que só depende de nós, e menos sofrimento também.

    Boa noite Daniel.

    ResponderExcluir
  15. Olá Daniel, tudo bem.
    O mundo precisa estar num divã mesmo.
    Desde que acorde com a luz da esperança que todos nós precisamos.
    grande abraço
    Blog Fernu Fala II

    Se puder siga meu blog também.
    valeww

    ResponderExcluir
  16. "O mundo precisa descansar
    Voltar seus olhos
    Para dentro de si..."
    E se assim o fizermos, nem precisaremos de um divã,

    Parabéns poeta, pelos versos fantásticos e sempre tão conscientes.
    A sua criatividade poética e digna de muitos aplausos. Tens um dom incrível da palavra!

    Beijos com o meu carinho e sincera admiração.

    ResponderExcluir
  17. Boa noite, Dan. Como essa criança sofreu e o que não conseguiu resolver durante infância desprotegida, adolescência problemática, reflete na vida adulta, precisa de terapia, a salvação através do ouvir o que tanto precisa ser dito.
    Exorcizar fantasmas, curar traumas de infância são tarefas importantíssimas para que a pessoa tenha uma vida adulta resolvida.
    Fugir do passado não é e nem será solução para nada, aliás, encará-lo, reconhecê-lo é que é.
    Quando há em nós o querer da mudança, o entendimento de que ela precisa ocorrer, já é um passo muito grande para em nós habitar a cura interior!
    Quando falamos para o terapeuta os nossos medos mais intensos, que somente nós sabemos, abre-se uma oportunidade imensa de identificarmos o problema com uma ajuda profissional e deixarmos mágoas, complexos de inferioridade, medos e tudo de ruim que nos assola, como algo vencido ou a ser.
    Portanto, sempre temos de ter a esperança, sempre, pois ela é libertadora!
    Parabéns!
    Maravilhoso!
    Tudo de bom e beijos na alma!

    ResponderExcluir