17 de março de 2014

Não te isoles passarinho




Não te isoles
Numa caixa toráxica
Passarinho medroso.

Quebre a casca do ovo
Permita-se nascer de novo
Mergulhe com tuas asas
Na liberdade de ser,
A roupa que o mundo te deu.

Derrame teus sonhos,
Tuas penas, pequenas,
Igual ao perdido orvalho,
Que encontrei no teu olhar.

Expanda sua arte,
E sentirá o perfume
Das alegres flores
Nos jardins dos anjos.

Será a sua natureza,
E viverá a beleza,
De se amar
Do jeito que é.
Não te isoles passarinho.

Dan André