17 de março de 2014

Não te isoles passarinho




Não te isoles
Numa caixa toráxica
Passarinho medroso.

Quebre a casca do ovo
Permita-se nascer de novo
Mergulhe com tuas asas
Na liberdade de ser,
A roupa que o mundo te deu.

Derrame teus sonhos,
Tuas penas, pequenas,
Igual ao perdido orvalho,
Que encontrei no teu olhar.

Expanda sua arte,
E sentirá o perfume
Das alegres flores
Nos jardins dos anjos.

Será a sua natureza,
E viverá a beleza,
De se amar
Do jeito que é.
Não te isoles passarinho.

Dan André

22 comentários:

  1. Boa tarde Daniel

    Que beleza de poema... quanta sensibilidade...
    Gostei muito.

    Deixo um beijo, e uma semana Feliz

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Oi Daniel
    É preciso soltar as amarras, voar em liberdade para alçar altos e soberbos voos. Só a liberdade nos propicia voar em busca da tão almejada felicidade. Belíssimo poema
    Beijos com carinho

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde poeta amigo.. certas circunstancias nos prendem em nós mesmos.. e tememos quebrar esta dura casca que colocamos a nossa volta.. a única prisão que existe é criada por nós e só nós temos a chave de abrir os cadeados e libertarmos o verdadeiro Eu.. abraçao

    ResponderExcluir
  4. Querido poeta.

    O teu belo poema de asas tão imensas, me fez lembrar de uns versos que ha tempos escrevi em homenagem a uma linda poetisa que se sentia de asas presas.(Um período apenas como todos passamos...)
    Como não o tenho postado pra lhe apresentar, recito aqui de pé diante de tua tão bela arte.

    SOLTE AS AMARRAS

    Saia do lugar apertado
    Onde você se encontra!
    Desse vazio que lhe sufoca...
    O qual você já não suporta...
    Dê vazão ao teu interior
    Não sufoque nenhuma dor
    Nem este apelo ao teu eu

    Não prenda as lágrimas
    Solte as amarras.
    Vá sem medo...
    Descubra o teu próprio segredo
    Reencontre o teu ego
    Faça o que o teu coração lhe manda.

    Mergulhe em teu âmago
    Busque forças e vá!
    Dê um voo de liberdade
    Pois asas de emoção você já tem.
    Então ouse ao que lhe convém

    Não reprima o desejo de ir em busca
    Daquilo que lhe espera...
    É a tua felicidade
    Ela não está distante
    Esta bem ao teu alcance
    Pois o que é teu ninguém lhe tira
    Permita-se e siga o teu instinto...

    E quando se sentir no auge do teu eu
    Estenda as mãos e recupere
    Segure firme, tome posse!

    E então...
    Com tudo o que trazes na alma...
    Sobretudo a grandeza de espírito...
    De um grito de felicidade!
    E diga exuberante pra você:
    Sou um pássaro livre! Muito prazer!
    Bem vindo a um novo amanhecer!
    (Lu Nogfer- 2009)

    Agora eu só quero lhe aplaudir.
    Bravo!

    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  5. Um grito à liberdade de sermos nós mesmos, sem medo de sermos felizes. Lindo meu rei. Um bjão

    ResponderExcluir
  6. Oi Daniel
    Linda poesia, estou meio adoentada fisicamente, mas haverá remédio para isso, emocionalmente machucada, mas logo, logo vou transferir essas feridas da alma.
    Mas, sou forte, mineira e tudo tem a hora certa para acontecer...A vida é uma roleta russa...
    Obrigada pela preocupação( logo voarei da gaiola)
    Beijos
    Lua Singular






    ResponderExcluir
  7. Formidável...é sempre uma surpresa ler teus versos, pq cada um tem um "quê" de perfeição poética! Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Só se isola e não voa quem tem medo. O medo evita que a impossibilidade se torne possibilidade, é o querer ir mas ficar, amarrado de angústia. Só o voo é movimento e mudança, é expansão e liberdade.
    Um poema muito belo, e uma imagem muito original....:-)
    xx

    ResponderExcluir
  9. Oi Daniel, se esse passarinho sou eu, logo ele irá escapar deixando muitas pessoas a ver navios.
    Beijinhos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  10. Ola Dan,
    Nenhum passarinho devia se isolar.
    "Só eu posso mais não posso sozinho".
    Muito belo seu poema e tudo que voce
    deixa escrito tão carinhosamente para mim.

    Me fortalece para não me isolar igual esse passarinho.

    Beijos doces

    ResponderExcluir
  11. Ninguém deveria se isolar! Assim como eu e o passarinho.
    Lindo poema Dan,mostrando como é bom a liberdade!
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  12. Não te isoles passarinho!
    Quebre a casca do ovo.
    Permita-se nascer de novo.


    Belo convite à mudança, à ousadia, ao cheiro da liberdade.

    Abraço pra você poeta!

    Ana Virgínia
    http://instagram.com/anavi_16
    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá,Daniel
    Não te isoles passarinho....por vezes, na vida, é preciso isolar-se, de alguém ou do mundo, para entender o que se passa, somente não pode ser por medo ou fuga...o isolamento, que é refúgio rotineiro não oferece as respostas que precisamos...
    Obrigado pelo carinho, bela noite, belos dias, abraços!

    ResponderExcluir
  14. Oi, querida Dan!

    Fico muito feliz, quando você aparece no meu espaço, dizendo coisas, que só alguns sabem dizer. Você, é o caso e o "cara" (risos).

    Faz muito bem em andar com a vida para a frente, porque parar é quase "morrer". Vá para a faculdade, vá, Dan!
    Resolve teus assuntos pessoais, e depois, segue em frente, porque não te quero como o passarinho da tua postagem, embora tenha adorado a imagem. Até que me deu vontade de para lá entrar, também.

    Teu poema está fabuloso, Acho que devemos quebrar as cascas de todos os "ovos da vida", e sair, por aí, em direção à felicidade e ao futuro, que desejamos, promissor.

    Dias bem felizes, querido!

    Aquele beijo!

    PS: postarei, essa 6ª feira, porque é DIA MUNDIAL DA POESIA. Eu sei que teu país tem um dia próprio, que foi no dia 15, julgo eu.Beijussssssssss.

    ResponderExcluir
  15. Vim agradecer suas lindas palavras.
    Obrigada Dan,você é um grande amigo.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  16. Hoje venho dizer que seus comentários me deixam muito à vontade e são incentivo indispensável.
    Quanto a sua poesia: linda, leve, libertadora. Já vi que mexeu com seus leitores, nem podia ser diferente.
    Sou passarinho perdendo o medo e procurando uma forma de expandir minha arte. Que ela alcance a sensibilidade das pessoas, assim como a sua sensibilidade invadiu minha caixa toráxica e me convidou a sair para sentir o perfume e a alegria das flores no jardins dos anjos. Eu vou!
    Beijão nessa testa linda!

    ResponderExcluir
  17. É preciso confiança na vida e liberdade no pensar para levantar voo :)
    Muito belo, Daniel!

    ResponderExcluir
  18. Creio que somos nossos próprios algozes em muitos momentos da vida. E essa prisão não tem portas ou correntes, senão o medo. Belos versos.

    ResponderExcluir
  19. Oi Daniel,
    Não consegui fazer comentário na primeira postagem.
    Sabe, você me emocionou com seus comentários, então ganhei mais um filho?
    De onde você pegou o código de Top comentarista, comigo esse item não da certo e me desculpa perdi seu e-mail
    Beijos
    Lua
    Singular

    ResponderExcluir