18 de junho de 2018

Triumph Bonneville


Jaqueta cor de corvo, 
armadura de liberdade
e um homem com sua Triumph Bonneville.

Ele acelera na infinita estrada de outono,
voa no asfalto de um cenário bucólico,
enquanto as pesadas camadas de lamúria
se desprendem, e se juntam as folhas mortas.

A possante Bonnevillle o conduz a sua extensão:
harmonia de um amor feliz
com o perfume natural da renovação
no sério olhar por trás da ray ban.

Sem jaqueta 
uma armadura espiritual
Um homem no por do sol 
com sua Triumph Bonneville.

Daniel André.

7 comentários:

  1. Gostei e roubei para guardar: "a harmonia de um amor feliz
    com o perfume natural da renovação."

    ResponderExcluir
  2. Excelente adorei O poema!!
    ~
    Beijo e um excelente dia!:)

    ResponderExcluir
  3. Adorei os teus versos. Parabéns :))

    Hoje:- Não será solidão por estar sozinha.

    Bjos
    Votos de uma óptima Terça-Feira

    ResponderExcluir
  4. Oi Daniel! Bem moderno esse texto. Gosto de inovações , e adorei o metal e o couro junto às folhas e o asfalto negro.Trouxe os elementos com maestria poeta. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Um poema cheio de vigor…
    Uma boa semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Viu ele provou que não é só um rostinho bonito.

    ResponderExcluir