16 de fevereiro de 2014

Vela acesa




Tenho em mim,
Um intenso fulgor
Clarão dourado
Que persiste em brilhar.

Ventos enfados
Tentam assoprar
Talvez arrancar
Asas de sonhos
E descolar a vivaz
Gargalhada que habita
Na leve chama.

Mas não!

Tenho a fé,
Uma vela incessante,
Que no período
Da sua vida,
Arde no meu peito,
E insiste que ela,
A vela continue acesa.

E continuará!

Tenho acesa,
As labaredas da esperança,
Que um dia se apagará,
Quando outra luz,
Vier me buscar.

Dan André