19 de fevereiro de 2014

Gato assustado


Não fiz o sinal da cruz
Em meu casto coração
Hipnotizado por teus olhos
Encontro a paz na oração.

Do medo, as minhas garras
Afiadas mostrando defesa,
Hoje sou um gato assustado
Escondido debaixo da mesa.

Na intimidade rasgo a terra
E dela surge o teu sorriso,
Será que me desintegrando,
Encontrará o meu abrigo?

Cansei de ficar nos muros,
Suando frio com sua aparição,
Tua alma azul me tranquiliza,
Rendo-me agora, senhora paixão.
Dan André.