9 de novembro de 2013

O ano de Saturno




Tudo o que eu mais queria agora,
Era cavalgar com meu Pégaso,
E fugir dos anéis de Saturno,
Que exigem de mim esforço educacional,
Do meu modo de enxergar a vida.

A austeridade desse ano saturnino,
Está sendo filtrada dentro de mim,
Dentro de cada acontecimento presenciado,
Como sacudir a mesmice, o conformismo,
Desencadeando reações atípicas.

Um guerreiro não desiste da luta,
Volto com meu Pégaso, enfrento Saturno,
Embalo com a rigidez dos anéis gasosos,
Aprendo a ser menos sentimental,
E reconstruo meu mundo interno e externo.


Daniel André.