13 de agosto de 2015

Soneto de inverno


Cortina nublada no dia
fina chuva na terra
árvores orvalhadas no campo
o romantismo da serra.

Aroma de café fresco
perfuma todo o inverno
abraços de apego
com assopros de galerno.

O céu cor de rosa,
lenha estalando na fogueira
e na varanda, flores de cerejeira.

Cisnes namoram apaixonados
passarinhos cantando
e esse frio, encantando.

Daniel André

4 comentários:

  1. Boa noite Daniel
    Me envolvi nas tuas belíssimas letras que transportei para este cenário tão sedutor que você delineou com visceral magia. Belíssimo poema
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. Oi Dandan,
    Mas parece uma manhã gelada na fazenda onde o fogo do fogão a lenha aquece o coração.
    É inverno, é amor grudadinho embaixo dos cobertores.
    Beijos
    Dorli Ramos

    ResponderExcluir
  3. Dandan,
    Desculpe o erro, estou com soninho.
    Logo no começo: Mais
    Beijos

    ResponderExcluir

Agradeço a sua visita e comentário. Abraços, Dan.