13 de agosto de 2015

Ventos de inverno


Manhã nublada
Chuva fina na terra
A cerejeira orvalhada
O romantismo da serra.

Aroma de café fresco
Os assopros de galerno
Pés aquecidos na lã
Bons ventos de inverno.

Nessa estação poética:
As palavras esquentam o frio,
Os cisnes namoram nos lagos,
E o amor fica no brio.

Cheiro do bucolismo
Lenha estalando na fogueira
O céu cor de rosa,
Com as flores de cerejeira.

Daniel André.


************

E para climatizar a poesia, "Nem um dia" do Djavan.