5 de maio de 2015

O observador


Quando abro meus olhos,
Começo a minha jornada,
Admiro as minhas plantas,
E até logo pra minha casa.

No caminho do meu dia,
Observo os pássaros no céu,
Abelhas namorando flores,
Para construírem favos de mel.

Na banca de jornal,
Notícias ruins a me alertar,
Violência se alastrando
O meu dia não irá acabar.

Logo na esquina,
Vejo crianças brincando
Algumas sempre felizes
Outras sempre chorando.

No café da padaria,
Ouço pessoas a fofocar
Falando mal do vizinho
Que ontem estava no bar.

Diante de certas coisas,
Era melhor ser cego,
Existem  algumas pessoas,
Dando uma de espertos.

Observo pessoas artistas,
Enganando os outros pra viver,
Pedindo esmolas na rua,
Dizendo não ter o que comer.

Mas a bondade existe,
Observo até de olhos tapados,
Alma caridosa não me engana
Nos corações acalorados.
  
O dia sai correndo,
Até o transito quer descansar,
Minhas pernas vão pedindo,
Um lugar para repousar.

Deitado em minha cama,
São saudades, esperanças e amor
Caminho em nuvens de sonho
Na visão de um observador.

***********

Escolhi a linda canção do Tavito ,"Rua Ramalhete" para embalar a leitura. Abraços queridos amigos!
   

Daniel André