15 de março de 2013

Nós dois, duas alianças



Assustadamente atrasado
Percebo que você já se foi
No porta retrato vejo
A foto serena de nós dois.

Durante o dia você me liga
Só para me fazer lembrar
Que me ama todos os dias
E pergunta se eu quero casar.

É tão louca essa vida, penso
Sempre quis usar uma aliança
Para selar essa felicidade
Um sonho antigo de criança

As nuvens vão correndo
E à hora do almoço chegando
De longe você me acena
Meu amor vai se aproximando.

Mãos suadas na mesa
Um filme de amor no domingo
Admiro a aliança em meu dedo
Vem morar comigo.

Quando sai tarde do trabalho
De carro estarei esperando
Um beijo desesperado de saudade,
Vamos para casa cantando.

Faço a sua macarronada
Dedica-se minutos a televisão
No meu lado você faz carinhos
Em meus olhos, um coração.

Assim vamos levando a vida
Conectados por pensamentos
Com planos para sair do papel
festejando grandes momentos.

Daniel André.

**********

Essa linda canção se encaixa com a vida de muitos casais que se amam, e tem o desejo de um dia viverem juntos.


Abraços amigos.

14 de março de 2013

Lixo não descartável




Celebro a entrada de qualquer pessoa
Como se fosse uma festa de carnaval
E lamento com angustia a saída dela
Da mesma forma que um triste funeral

Pessoas são criticas, tem dois lados
Yin e Yang, doce e amargo, bom e ruim
Algumas sempre irão rotular com asco
As boas intenções de alguém num botequim

Tudo o que não é agradável, é lixo
Sendo fétido, não há como reciclar
Coisas que te oprime, seres que te pisam
Mesclando novos horizontes a começar.

O excessivo



Enquanto escrevo sobre a vida
Incansavelmente te vejo irritada
Nossa varanda é tão minúscula
Largo tudo, fico na arquibancada

De repente você me atropela com verbos
Eu saio da frente buscando uma solução
Sorridente você me pede mudanças
Porque meu romantismo é sem coração

Elegantemente te explico que sou um poço
De sentimento, poesia, lirismo bem profundo
Se eu revelar meu lado Don Juan querida
Serei o mais excessivo homem do mundo.

Sou excessivo, um ansioso raio de luz
Que penetro em sua carne carente
E de repente, te abraço forte, sou teu suporte
Se entregue a mim, e verás que terá sorte

Sou excessivo na forma mais nobre
Vou te proteger como um cão fiel
Inúmeras ligações serão presenciadas
Fazendo-te ficar em nuvens, no céu

Sou excessivo como a água do oceano
Em profundidade, mistérios e sedução
Nunca mais reclamará de meu silencio
Porque vou te aguar a vida com paixão

Sabendo do anseio de ser amada, em palavras
Farei da sua vida um livro vivo de poesias
Na varanda não te vejo mais estressada, nem braba
Irei ser o excessivo, de noite, de dia, sem cortesias.

Doce amargo



















Dores de cabeça são constantes, meu amargo
Sinto que sou uma bexiga, preste a explodir
Vivo no espanto das suas investigações
Às vezes dá vontade de largar tudo, sumir.

O problema é que eu ainda te amo muito
Diazepan, rivitrol me ajudam a silenciar
Existe uma fera rosnando aqui dentro
Mas os medicamentos me fazem acovardar.

Nunca cerceei seus limites, nem de ninguém
Liberdade de idéias, de passos, é fundamental
Minhas asas já foram quebradas, meu doce amargo
Não quero passar os dias vivendo mal.

Contradições sempre aconteceram no tempo
O ideal era que passássemos o fim do mundo juntos
O seu rancor reflete em desânimo meus passos
De cabeça baixa, e imponente olhando os fundos