8 de agosto de 2013

Dois velhinhos


Levantam cedo, assistem os raios do sol
No inverno da vida presenciam o amanhecer
São dois velhinhos na cadeira de balanço
Com alegria festejam o resplandecer.

Fazem gestos saudosos para o tempo
Pássaros cortam o nascer do dia
O peso dos anos trouxe mais amizade,
Com muito amor, cumplicidade e alegria.

Fazem carinhos em seus cabelos brancos
Tem orgulho de estarem juntos no envelhecer
Olham para suas mãos, rostos enrugados
Somente o amor sincero, faz rejuvenescer.

Cuidam um do outro como recém nascidos
Namoram como adolescentes apaixonados
Viajam como aventureiros no mundo
E na cama, dormem abraçados.

Ficam emocionados com uma antiga canção
As lágrimas são provas dessa longevidade
O amor é que esquenta esses corações
E os rostos estampados de felicidade

Enquanto, isso o tempo corre
E os dois velhinhos continuam juntos
Andando de bengala na neblina do tempo
Desaparecem, seguindo seus rumos.
  
Daniel André