20 de maio de 2013

Paraíso singular



Cansa-me a desordem urbanística
os engarrafamentos mesclados aos diálogos monótonos
e pessoas confusamente robotizadas.

O estresse nosso de cada dia !

Em meu santuário
tiro a roupa que me vestem
sou normal,
sou eu mesmo,
deselegante.

Meu doce lar
paraíso singular
onde me compreendo
perco-me
escrevo e ninguém me incomoda
inspiração e libertação
minha nudez
eu.

Daniel André